5 formas de como medir os resultados de sua clínica médica

Você já sabe como medir os resultados de sua clínica médica? Como qualquer empresa, uma clínica precisa ter seu desempenho avaliado para ter sua viabilidade e crescimento garantidos. Fazer isso, porém, costuma ser um desafio.

São diversas informações que precisam ser devidamente coletadas para, então, possibilitar a realização de análises embasadas e assertivas. E isso inclui tanto dados relativos à rotina de atendimento quanto dados do setor administrativo e financeiro.

Lidar com tudo isso é uma atividade que pode ser trabalhosa e desgastante para quem não conhece formas e ferramentas práticas para medir o desempenho de uma clínica médica.

Ao final da leitura deste post, você vai saber como solucionar essa questão e adotar uma rotina gerencial mais fácil e intuitiva para uma administração inteligente de seu empreendimento. Acompanhe!

O que são indicadores de desempenho: como medir os resultados de sua clínica médica

Para conhecer e entender como medir os resultados de sua clínica médica é preciso saber o que são indicadores de desempenho chamados de KPIs (key performance indicators).

Trata-se de dados que, após coletados, como o nome já revela, indicam a performance de um empreendimento em diferentes níveis, fornecendo informações seguras para a gestão e o processo de tomada de decisões de um empreendimento. Para tanto, podem ser utilizados a partir de diferentes enfoques como finanças, produtividade ou qualidade.

Em uma clínica médica, o levantamento do número de pacientes atendidos em um determinado período é um exemplo de KPI. Mas, para que seja possível realizar uma análise útil a partir dessa informação, é preciso saber como utilizá-la e como compará-la a outros dados essenciais.

As principais formas para como medir os resultados de sua clínica médica

Para avaliar o desempenho de uma clínica, não basta apenas coletar dados e analisá-los de forma isolada. É preciso fazer um cruzamento de informações para, então, realizar análises úteis. E, para tanto, deve-se conhecer as 5 formas de mensuração que sejam realmente importantes para o processo. Veja:

#1. Adotando métricas de qualidade

Métricas de qualidade são aquelas que estão diretamente relacionadas ao desempenho de sua clínica na visão de seus pacientes. Elas são importantes não só em função da máxima que diz que “o cliente tem sempre razão”.

Mas, também porque permitem avaliar resultados a partir de uma visão externa, de quem não faz parte da rotina do local no dia a dia e, portanto, consegue trazer novas e valiosas informações.

Falamos aqui da medição da satisfação dos pacientes quanto ao serviço prestado, instalações e pontualidade, geralmente feita por meio de questionários enviados após o atendimento.

A medição do tempo de permanência na sala de espera também deve ser incluída, uma vez que a avaliação da rotatividade na clínica fornece informações quanto ao seu desempenho de atendimento.

#2. Definindo métricas de produtividade

Métricas de produtividade são aquelas que focam na quantidade total de atendimentos e em sua relação com o tempo gasto e o desempenho de cada colaborador.

Assim sendo, é possível mensurar a quantidade de consultas que cada atendente marcou e a quantidade de atendimentos feitos por cada médico ou técnico, por exemplo.

A conferência do tempo de duração média de cada tipo de atendimento — agendamentos, consultas e procedimentos — também pode servir de base para a análise da produtividade da clínica, setorial e geral.

#3. Acompanhando métricas de capacidade

As métricas de capacidade servem para indicar se a clínica está atendendo a uma quantidade de pacientes equivalentes às suas condições e objetivos. Assim sendo, contribuem para saber se o desempenho está aquém do esperado ou se, do contrário, abre caminho para a adoção de medidas de expansão das atividades.

Para tanto, vale acompanhar o número de consultas marcadas num determinado intervalo de tempo, a existência ou não de horários vagos na agenda dos colaboradores, a existência ou não de uma lista de espera, e o número de novos pacientes, por exemplo.

#4. Conferindo indicadores de estratégia

O termo “estratégia” já indica que esses indicadores estão relacionados à parte administrativa e financeira. Isso porque, através deles, é possível descobrir se o desempenho da clínica médica está sendo capaz de corresponder às suas necessidades. Ou, em outras palavras, se as medidas adotadas e as receitas geradas são suficientes para cobrir os gastos e gerar lucro.

Dentre esses indicadores estão o fluxo de caixa, o valor médio gasto por cada paciente, a incidência de glosas médicas, o faturamento e a eficiência administrativa.

Este último reúne qualidade de todos os demais ao avaliar o custo e valor agregado dos processos administrativos, servindo como um “termômetro” para o desempenho do setor e, consequentemente, da clínica como um todo.

#5. Desenvolvendo relatórios embasados

Por fim, é importante saber que utilizar esses dados para desenvolver relatórios é a chave para entender como medir os resultados de sua clínica médica. Isso porque, como já dito, analisar as métricas e indicadores de forma isolada não fornece uma visão completa e precisa do desempenho da clínica.

Os relatórios, sejam eles relacionados aos pacientes, ao atendimento ou às finanças, permitem que os dados sejam agrupados e comparados. Assim, fica mais fácil estabelecer uma relação entre eles e não apenas conhecer o desempenho da clínica, mas encontrar formas de resolver possíveis falhas ou aproveitar oportunidades.

A tecnologia como aliada: os benefícios do uso de um software de gestão

O volume de dados a ser coletado a partir das métricas e indicadores e, ainda, transformado em relatórios que sirvam de base para análises e decisões é alto. Por isso, há de se imaginar que nem mesmo contar com o apoio das famosas planilhas do Excel é o bastante para tornar a tarefa mais fácil.

A solução, portanto, passa por contar com um software de gestão que, por meio de automação de processos e de uma plataforma intuitiva, torna mais simples a coleta de dados e, mais do que isso, a emissão dos importantes relatórios.

Assim, é possível ter uma visão real do desempenho e da situação da clínica, possibilitando a adoção de práticas e medidas que garantam a saúde financeira e o sucesso do empreendimento.

Achou este post interessante? Então não deixe de conferir as 10 principais métricas de performance para clínicas médicas e potencializar a sua avaliação de desempenho!

Rafael Américo

Rafael Américo

Rafael trabalha com Inbound Marketing na Vitta, produzindo conteúdos voltados para a geração e nutrição de leads. Jornalista, se especializou em economia, negócios e empreendedorismo. Ama cinema, aprender idiomas e conhecer novas estratégias de comunicação. Quer ajudar a Vitta a mudar a saúde do Brasil! #somostodosvittanos

6 Comentários

  • Pauline
    27 de outubro

    Não costumo monitorar métricas com tanta frequência e a clínica ainda dá lucro. Por que começar?

    • Matheus Soares
      27 de outubro

      Se você monitorar e aplicar estratégias, estes lucros certamente irão aumentar 😉

  • Giliard
    27 de outubro

    Como os relatórios podem ajudar nas métricas?

    • Matheus Soares
      27 de outubro

      Os relatórios apresentam dados detalhados de acordo com data, hora, profissional, plano de saúde, tipos de procedimentos, faturamentos e outras variáveis que podem ser interessantes. Basta interpretar e analisar os dados!

  • Florêncio
    27 de outubro

    Como medir a capacidade de minha clínica para atender?

    • Matheus Soares
      27 de outubro

      Esta capacidade está diretamente relacionada ao número de profissionais e de salas para consulta disponíveis. Por isso é importante usar um sistema de gestão para deixar os atendimentos mais sucintos, aumentando assim o potencial de atendimentos de sua clínica.

Deixe o seu comentário

[i]
[i]