Referências em gestão: inspire-se em empreendedores que mudaram o setor da saúde

Você já se perguntou qual a importância das referências? Tudo o que fazemos, elaboramos e planejamos é pautado em algo que já vimos. Todas as ações são resultados de uma ressignificação de alguma outra ação já realizada. E o que isso tem a ver com o setor da saúde?

Tudo! O ato de empreender não é diferente. Para se destacar no mercado, é preciso filtrar exemplos – dos mais diversos – e aplicá-los com a sua visão de negócio.

Para você se inspirar, trouxemos 5 referências de empreendedorismo no setor da saúde.

Antônio Carlos Brasil e Cristine Dittman Brasil

Todos sabemos da ineficiência do setor da saúde pública no nosso país e das mensalidades caras dos planos de saúde privados. Pensando nisso, esses dois empreendedores, com 49 e 43 anos – respectivamente – fundaram a Acesso Saúde. A companhia, basicamente, garante ao cliente o pagamento por demanda, e sempre por um valor acessível. Proporcionar o atendimento médico de qualidade com preços acessíveis é a missão da empresa, que é um sistema de atendimento médico e odontológico sem mensalidade, oferecendo consultas e exames por meio de sua rede de clínicas integradas a nível nacional.

Depois de mais de uma década trabalhando em uma operadora de plano de saúde, o casal decidiu empreender para mudar o cenário clínico brasileiro. Em 2006 a primeira unidade da Acesso Saúde abriu as portas em Colombo (PR). “Nós investimos só R$ 12 mil. De 70 médicos que convidamos, só 22 aceitaram. Foi um grande desafio porque as pessoas não entendiam a proposta do negócio”, disse Antônio.

Em 2008, a Acesso Saúde se tornou franquia e hoje conta com 25 unidades espalhadas por todos os estados brasileiros.

Hamilton da Silva

Com 29 anos, nascido e criado na favela de Nilópolis (Rio de Janeiro), o engenheiro – que ilustra a foto deste post – se destaca no rol de empreendedores por ter apostado na democratização e no acesso à alimentação saudável para os moradores das comunidades.

A empresa, Saladorama, se compromete a entregar saladas orgânicas por encomenda – delivery – e por um preço acessível (além de ser uma fonte de renda para os moradores das favelas, possibilitando-os a atuarem como fornecedores do alimento).

De favela em favela, o empreendedor já expandiu seu trabalho para diversas outras áreas do território nacional: Florianópolis (SC), Sorocaba (SP), São Luís (MA) e Recife (PE) – local onde mora atualmente. “Se me perguntar se ganho o mesmo que na consultoria, vou dizer que não, mas sou mais feliz hoje. Sou feliz favelando.” Diz Hamilton.

Eraldo Guerra

Mestre em Software e Aplicativos de Mídia, é o criador da empresa que desenvolve produtos tecnológicos com impacto social Life Up. Nascida em Junho de 2013, a companhia tem como visão “Ser uma referência no mercado nacional de serviços de soluções, reconhecida pelo seu mercado de atuação e pela qualidade de serviços oferecidos” e como missão “Multiplicar os valores da sociedade por meio de tecnologias humanitárias”.

A startup recifense tem dois serviços que se destacam, o CanGame e o SpeakUp. O CanGame é um conjunto de ferramentas de apoio aos pais, médicos, educadores que tratam do autismo. Ela promove maior autonomia social – com realização de atividades do cotidiano – para os portadores da condição.

Já o SpeakUp surgiu de um estudo da questão comportamental do mutismo seletivo e da fobia social. Basicamente, é uma ferramenta que contribui para a redução da timidez excessiva de forma, otimizando o desenvolvimento acadêmico, profissional e social dos usuários.

Mauro Figueiredo

Formado em Medicina na USP, o médico é responsável pela transformação do laboratório Fleury em um dos maiores centros médicos do país.

Quando questionado sobre o que a formação médica pode trazer de positivo e de negativo para a gestão de pessoas, respondeu: “Uma formação mais humana, pois o médico é naturalmente exposto ao que acontece com a sociedade. Como hematologista, lidei muito com casos de câncer. E lidar com a morte não é algo tranquilo. Você passa a ter uma visão muito mais humana. Do lado ruim, o médico ainda é muito solitário. Ele fica voltado a tomar decisões solitárias. As questões de formar grupos e do trabalho em equipe são muito complicadas, não é fácil lidar com equipes médicas. O médico pode até assumir riscos, mas tem uma deficiência em gestão e no trabalho em grupo.”

Hoje, Mauro está a frente do Grupo Bradesco Seguros e Bradesco Saúde também.

João Gabriel Alkmim

Um dos fundadores e COO da Vitta, empresa de tecnologia no setor da saúde, conheceu – aos 18 anos de idade – Lucas Lacerda (CEO da empresa), três anos mais velho. O encontro aconteceu em uma palestra do Seed – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development, um programa de apoio às startups de Minas Gerais.

Alkmim sempre foi um empreendedor ativo. Aos 16 anos, abriu a sua primeira startup na área da educação, mas o que alavancou mesmo foi a vontade de mudar e melhorar o setor da saúde do Brasil. A Vitta nasceu como startup, mas em poucos anos se transformou em uma das maiores empresas de tecnologia em saúde do mercado. E mesmo com o crescimento, a empresa mantém em seu DNA a inovação, a experiência, a praticidade e a segurança.

Líder em Prontuário Eletrônico, a empresa já atendeu 11 milhões de pacientes (1 novo paciente a cada 12 segundos), tendo clientes em 27 Estados brasileiros. Em agosto de 2016, a Vitta adquiriu a operação do ClinicWeb, hoje seu sistema de gestão para clínicas e hospitais que impacta a vida de milhares de pessoas.

Você gostou do conteúdo desse post? Comente qual referência mais te inspira na sua rotina e não deixe de acompanhar o nosso blog!

Lucas Menezes

Lucas Menezes

Publicitário, autor do livro "Versos e Versões", faz parte da Antologia Poética Brasileira e valoriza a riqueza da cultura nacional. Atualmente, é Owner de Conteúdo na Vitta e trabalha para melhorar a saúde no Brasil.

2 Comentários

  • Dr. Mendonça
    24 de Janeiro

    Inspirador! Não conhecia a maioria das histórias…. Muito bacana ver que tem gente disposta e empenhada a melhorar a saúde do Brasil!

    • Lucas Menezes
      24 de Janeiro

      Obrigado pelo comentário, Dr. Mendonça!

Deixe o seu comentário