5 erros de profissionais na gestão clínica

Administrar um negócio com sucesso é mesmo desafiador. Se você está enfrentando dificuldades ou teme estar cometendo erros que possam prejudicar sua gestão clínica, saiba que é normal passar por isso. E, também, que é possível resolver.

Já é um bom sinal você ter chegado até aqui buscando conhecer erros que profissionais geralmente cometem na administração de suas clínicas. Isso significa que você está disposto para avaliar o próprio desempenho, identificar e corrigir os problemas.

Ao longo deste post, vamos te apresentar 5 práticas ruins do mercado e te ajudar a entender como evitá-las. Assim, esperamos que você faça os ajustes necessários para levar seu negócio ao sucesso e melhore a gestão clínica. Vamos lá?

#1. Ignorar a relevância da recepção

Na maioria das vezes, quem trabalha na recepção da clínica é quem faz o primeiro contato com os pacientes e futuros pacientes. Por isso, é de suma importância reconhecer a relevância do papel desempenhado pelas colaboradoras ou colaboradores da secretaria para uma boa gestão clínica.

A começar pela contratação, o gestor precisa estar atento à características essenciais que uma secretária deve ter para ocupar o posto, como comunicação clara e capacidade de gerenciar crises. Além disso, deve garantir que essa equipe seja bem orientada segundo os valores e objetivos da instituição e, se necessário for, receba um treinamento para realizar os processos de forma ágil e eficiente.

A falta de atenção ou importância a essas questões prejudica aquela primeira impressão que os pacientes têm da clínica. E isso é algo que contribui para afastá-los mesmo que o restante do atendimento seja realizado de forma satisfatória por uma equipe médica altamente capacitada, por exemplo.

#2. Não valorizar a gestão de pessoas e de sua equipe

Administrar uma clínica médica é algo que exige tempo, esforço e muita dedicação. São muitas as obrigações a serem atendidas e é comum que essa pressão prejudique o relacionamento e o bom aproveitamento da própria equipe.

Há casos em que o gestor não consegue reconhecer ou aproveitar as qualidades e habilidades de seus colaboradores ou, ainda, casos em que reconhece esse potencial, mas não sabe criar condições para aproveitá-lo.

Seja qual for a situação, uma boa gestão de pessoas com foco na melhoria do trabalho em equipe faz a diferença. Inclusive para ajudar a aliviar a pressão que decorre de tantas responsabilidades, tanto para você quanto para os seus colaboradores.

Vale se lembrar de que uma boa gestão de pessoas contribui para a melhoria da qualidade do trabalho realizado, é benéfico para o clima geral no ambiente e, consequentemente, traz melhores resultados para a clínica e mais satisfação para os pacientes.

#3. Não estabelecer metas para a clínica

Ter um negócio, em qualquer área, é difícil. Tanto para quem acabou de começar quanto para quem já está nessa há algum tempo, encontrar os caminhos para fazer com que uma clínica médica se mantenha viável e possa continuar existindo é trabalhoso.

Essa realidade, que de fato não deve ser negada, costuma fazer com que gestores não estabeleçam metas e façam apenas aquilo o que parece ser o suficiente e torcer para que, no fim das contas, todo esse esforço resulte em surpresas positivas.

Mas a verdade é que não pode ser assim. Não há dúvidas de que o objetivo principal é conseguir manter o negócio ativo. Porém, para fazer isso com mais tranquilidade e segurança e, ainda, encontrar maneiras de alcançar resultados cada vez melhores, é preciso se apoiar em metas.

Nesse sentido, vale ficar atento para não cometer outro erro comum que é o de estabelecer metas que não são condizentes com o momento e as possibilidades da clínica.

#4. Não pensar no financeiro de forma estratégica

O pensamento apresentado anteriormente também serve para as finanças. Esse é um dos principais desafios da gestão clínica, sobretudo para empreendedores que são, por formação, profissionais da Saúde. Isso porque, fossem profissionais da área de Exatas, por exemplo, não esbarrariam nessa comum dificuldade.

O erro certamente não está em não ter facilidade com os números ou com a gestão financeira. E sim com não encarar essa questão com seriedade e não tentar enxergá-la de forma estratégica.

Para administrar bem uma clínica médica e conseguir fechar o caixa com saldo positivo todos os meses (esse deve ser o objetivo, certo?), é preciso entender que há um trabalho minucioso a ser feito para acompanhar o fluxo, manter as contas a pagar e a receber em dia e, ainda, conseguir projetar e alcançar lucro.

As já mencionadas metas servem para ajudar com tudo isso também. E, para cumpri-las, é importante pensar no dinheiro com inteligência, visando reduzir despesas e otimizar os ganhos sempre de forma sustentável.

#5. Deixar de usar a tecnologia

É comum que no caminho para tornar-se um empreendedor, as pessoas acreditem que vale mais a pena apostar no uso de metodologias e ferramentas que todos já conhecem. Isso porque, se deu certo por tanto tempo, é mais seguro e melhor. Ou será que não?

A resistência à mudança tende a ser natural, mas fechar os olhos para os benefícios que as novidades tecnológicas oferecem pode ser um verdadeiro tiro no pé.

Como destacamos, administrar uma clínica médica é difícil. Poder contar com um software de gestão médica, capaz de facilitar todos os processos pode ser a saída para alcançar melhores resultados, em menos tempo e com menos esforço.

Assim sendo, cada vez mais, para fazer uma boa gestão clínica, é importante saber que vale a pena confiar na tecnologia e, então, entender como tirar proveito dela.

Erros evitados? Agora é hora de pensar na produtividade!

Rafael Américo

Rafael Américo

Rafael trabalha com redação e escreve sobre produtividade médica. Jornalista, se especializou em economia, negócios e empreendedorismo. Ama cinema, aprender idiomas e conhecer novas estratégias de comunicação. Quer ajudar a Vitta a mudar a saúde do Brasil! #somostodosvittanos

4 Comentários

  • Henrique Andrade
    9 de Janeiro

    Outro grande erro é não dar a devida importância ao administrativo. O controle de estoque, por exemplo, normalmente passa despercebido, mas é algo muito importante.

    • Rafael Américo
      9 de Janeiro

      Olá, Henrique! De fato, se dedicar ao administrativo é extremamente importante.

  • Vitor P.
    9 de Janeiro

    Fiquei muito tempo achando que usar dinheiro em tecnologia não me traria lucro ou era moda passageira. Hoje vejo que já vivemos essa realidade. Não tem o que falar. É aceitar ou ficar pra trás.

    • Rafael Américo
      9 de Janeiro

      Olá, Vitor. De fato, abraçar a tecnologia é a melhor estratégia para qualquer empreendimento em saúde!

Deixe o seu comentário