https://wp.me/p8LUv8-i0
https://wp.me/p8LUv8-i0

O atendimento médico, ao contrário do que muitos pensam, não acontece somente quando o paciente entra na sala do médico e começa a relatar suas queixas e sintomas. O atendimento começa bem antes, assim quando o paciente coloca o pé dentro do consultório.

A partir daí, são várias as etapas pelas quais o paciente passa e que dizem muito sobre a qualidade do atendimento oferecido lá. Desde a recepção, passando pela sala de espera até chegar à hora da consulta: absolutamente tudo conta na hora do paciente decidir se vai marcar um retorno ou se vai procurar outro profissional para atendê-lo.

É óbvio, porém, que o atendimento médico em si, quando o paciente está cara a cara com o profissional formado em medicina, é o que mais conta. Afinal, a pessoa entra na clínica para ter um atendimento de qualidade, independentemente da consulta ser paga pelo plano de saúde, pelo próprio paciente ou se fizer parte da rede pública.

Mas nós sabemos que, às vezes, é difícil administrar o enorme número de pacientes que agendaram consultas para um único dia. E nós também sabemos como é complicado se organizar quando há pouca ajuda ou quando os processos não estão bem definidos.

Pensando nisso, elaboramos algumas dicas muito simples para tornar o atendimento médico oferecido em seu consultório melhor do que ele com certeza já é. Confira abaixo:

Contrate profissionais de confiança

Mesmo que a parte mais importante do atendimento seja o que o médico é responsável, o paciente precisa se sentir acolhido e bem tratado a partir do momento em que ele pisa o primeiro pé dentro da clínica.

É papel da recepcionista (ou da secretária do consultório) garantir que o paciente tenha uma boa experiência desde o começo.

Por essa razão, é extremamente importante contar com a ajuda de funcionários de confiança para auxiliá-lo com o tratamento que seus pacientes merecem. As recepcionistas ou secretárias devem ser gentis, comunicativas, educadas, prestativas e, claro, eficientes em suas respectivas funções. Elas estão lá não somente para lidar com as pessoas, mas também para ajudá-lo com outras atividades internas, principalmente aquelas que não dizem respeito diretamente ao paciente, mas sim à organização e administração do próprio consultório.

Use e abuse da tecnologia

Só que uma recepcionista ou uma secretária muitas vezes não são suficientes para dar conta de toda a burocracia e os processos que existem dentro de um consultório médico. Por isso, a ajuda da tecnologia também pode ser muito bem-vinda.

Priorize as ferramentas que otimizem os processos do consultório, como um sistema de agendamento de consultas online, um sistema de cadastro de pacientes também no computador, além de outras ferramentas administrativas, que cuidam da parte financeira.

Os próprios prontuários eletrônicos, que são uma realidade cada vez mais constante no dia a dia das clínicas, também ajudam bastante na organização do consultório.

Conheça as necessidades dos seus pacientes

Como toda empresa, um consultório médico precisa conhecer muito bem os seus clientes e suas necessidades. No caso, os clientes de um consultório ou uma clínica são os pacientes.

Entender o que eles querem é o primeiro passo para alcançar dois aspectos importantíssimos para todo negócio: 1) satisfação e 2) fidelização. E eles vêm necessariamente nessa ordem.

Para conseguir satisfazer os pacientes que vão à sua clínica, você precisa organizar os processos e seguir as dicas que nós citamos acima. O segredo, no fim das contas, não é segredo nenhum: a satisfação dos pacientes vem com um atendimento médico de qualidade.

Já a fidelização é um processo um pouco mais longo, mesmo porque para um paciente poder ser considerado “fiel” de fato, ele precisa ter ido ao consultório mais vezes — e ter recebido um bom atendimento em todas elas.