Médicos nas redes: por que o Twitter ainda é uma boa ideia

https://wp.me/p8LUv8-hY

A presença de médicos nas redes está cada vez mais e mais requisitada. Muitos, inclusive, já estão no Facebook — a rede social mais popular do mundo — e no Linkedin, usada para fins profissionais. Mas e o Twitter? Ainda é uma boa ideia?

A resposta é sim. O Twitter foi uma das primeiras redes sociais a serem utilizadas em escala global. Criado em 2006, quando o Brasil ainda vivia a febre do Orkut, o microblog hoje conta com 310 milhões de usuários cadastrados. Apesar de não ser tão popular quanto foi há cinco anos, ele ainda é uma rede social que médicos devem considerar.

E por que? Nós separamos os principais motivos que fazem do Twitter uma rede social com grande potencial para ser explorado. Veja abaixo:

Como funciona o Twitter?

Você já deve saber, mas a ideia do Twitter é ser uma rede social com posts sucintos, de até 140 caracteres. Agora também é possível inserir imagens, vídeos e até mesmo enquetes, mas texto escrito mesmo, só se for bem curto.

De resto, é uma rede social como outra qualquer: você cria a sua conta, segue pessoas e perfis do seu interesse e pessoas te seguem também. Muitos usam o Twitter para se manterem informados, seguindo portais de notícia, ou para os posts de seus artistas preferidos.

Mas uma das principais particularidades do microblog é o fato de que você não precisa enviar convites para interagir com as outras pessoas, a não ser que que você queira seguir alguém que tenha o perfil bloqueado para não-seguidores. E além disso, ao contrário do Facebook, por exemplo, o Twitter não filtra os posts que aparecem em sua timeline, de modo que você consegue ver todas as mensagens que os perfis que você segue postarem.

Mais: você pode criar hashtags e, assim, formar listas sobre determinado assunto, como #dengue, #aids ou #ebola.

Cada post no Twitter é chamado de tweet. E sempre que você gostar de um tweet publicado por alguém, você pode dar RT — abreviação para retweet. Você também pode curtir e favoritar os posts, além de citar outras pessoas, colocando apenas o nome do usuário com um arroba (@) na frente.

O Twitter ainda é muito acessado?

Sim e não. Apesar das 310 milhões de pessoas que têm conta por lá, somente 136 milhões delas são considerados usuários ativos — cerca de 44% do total.

Mesmo assim, 136 milhões de pessoas é muita gente, e os médicos podem se beneficiar disso.

Os chamados Trending Topics ainda são muito usados para mensurar quais são os assuntos mais comentados nas redes sociais. Há listas específicas para cada país, com assuntos regionais muitas vezes tomando conta do topo, e também uma lista com os temas mais comentados no mundo inteiro.

Quais as vantagens do Twitter para os médicos?

Por se basear numa comunicação rápida e interativa, o Twitter é a rede social preferida dos jornalistas. E apesar de não ser uma rede social voltada para a medicina, ela pode ser muito útil para você, médico. Veja algumas das vantagens:

  • Agências reguladoras, como a Anvisa (Brasil) e a FDA (Estados Unidos), mantém perfis no Twitter e deixam seus seguidores informados com notícias ou toda vez que aprovam novos medicamentos.
  • Agências de saúde pública também fazem uso das redes para manter a população informada sobre boletins de epidemias, desastres e campanhas de vacinação.
  • Médicos (famosos ou não) também usam para postar opiniões sobre questões relativas à medicina ou para postar vídeos ao vivo das conferências médicas.
  • Especialistas na sua área de atuação também estão no Twitter. Você pode segui-los para se manter sempre informado sobre as novidades da medicina.

Participe ativamente

Além de seguir as pessoas e os perfis que você tenha interesse, também não deixe de postar. Cuide para que os seus tweets sejam relevantes e não cometam nenhuma infração. Cuidado com posts com conteúdo racista, machista ou homofóbico. Eles também não pegam nada bem.

Procure postar com frequência para garantir notoriedade entre seus seguidores e atrair sempre novos. Compartilhe a sua conta do Twitter em suas outras redes sociais e em seu site ou blog, caso tenha um.