Dividir consultório ou não? Eis a questão

https://wp.me/p8LUv8-hT

Quando finalmente os médicos conseguem o tão almejado diploma, após anos e anos de estudos, muitos já querem partir para a próxima etapa de suas vidas profissionais: abrir o próprio consultório. Naturalmente, aparece uma série de dúvidas sobre como tocar o próprio negócio, mas a mais comum de todas é: o que é mais vantajoso? Dividir consultório ou bancar um por conta própria. Eis a pergunta de um milhão de dólares.

E quando nós dizemos que os médicos passam anos e anos estudando, não é eufemismo. Além da faculdade, têm ainda a especialização e a residência médica, então pode colocar aí na conta pelo menos uma década de muitos estudos, foco e determinação. Não é preciso menos do que isso para se formar em uma área tão disputada e exigente como a medicina.

Muitos médicos, que ao se formarem querem abrir a própria clínica, geralmente têm renda suficiente para fazer esse investimento inicial, mas muitos que têm esse sonho precisam somar forças com outros colegas para conseguir começar um negócio.

Só que, apesar de essa ser uma realidade cada vez maior entre os jovens médicos, muitos deles ainda não tiveram a percepção de que, ao abrir uma clínica ou um consultório, eles também estão abrindo uma empresa.

Mas isso não é culpa deles. Nas faculdades de medicina do país, os estudantes não estudam disciplinas voltadas ao empreendedorismo, marketing para consultórios ou qualquer outra que prepare os futuros médicos para o mundo dos negócios. Aulas de gestão financeira, marketing pessoal e novas tecnologias para clínicas? Nem pensar.

Não é errado afirmar, portanto, que os médicos concluem os estudos muito crus em relação a tudo isso e precisam daquela santa ajuda.

Para muitos, dividir consultório pode ser a melhor saída, não só para ter colegas com quem dividir despesas, como também ter pessoas para ajudar na hora de gerir as finanças e cuidar de todos os pormenores da empresa.

O que é melhor: dividir consultório ou não?

Essa é uma pergunta extremamente comum entre os médicos, principalmente entre aqueles que acabaram de se formar. Vamos, então, levantar alguns pontos que precisam ser considerados antes de tomar uma decisão.

Primeiro: busque informações jurídicas e financeiras sobre as duas opções e em seguida compare para saber o que lhe parece mais atraente.

É importante que, ao decidir por abrir um consultório sozinho ou partir logo para uma sociedade entre médicos, você consiga ter todas as suas necessidades supridas.

Vantagens e desvantagens

As principais em se dividir consultório você já deve imaginar quais são: compartilhamento das despesas. Mas quais seriam essas despesas?

Além do aluguel, ao dividir o mesmo espaço de trabalho com outros médicos, você consegue dividir também o salário de seus funcionários, gastos com materiais de limpeza, com outros itens básicos, comidas e bebidas (como água e café) e, também, com contas a serem pagas, como luz, água, internet e telefone.

Fora isso, dividir consultório com outros colegas também permite que vocês consigam fazer novos investimentos na empresa despendendo uma quantia pequena de cada um.

Parece uma alternativa melhor do que arcar com todas as despesas sozinho, certo?

Pois, da mesma forma, pode ser interessante para muitos médicos sublocarem salas em consultórios já montados, pagando apenas um valor para o proprietário do imóvel. Mas, ao fazer essa divisão, perde-se algumas das principais vantagens em ser um médico autônomo, como ter a própria secretária, gerir os horários da clínica de acordo com a própria conveniência, organizar os processos da forma como achar melhor, entre outros exemplos.